EXPEDIENTE 


Editora-chefe

Profa. Dra. Ana Maria Dietrich



Editores assistentes

Daniele da Silva Benicio

Lúcia Helena da Silva Joviano

 


Webdesigner
Wesley Oliveira

 

CHAMADA DE ARTIGOS

A Contemporâneos - Revista
eletrônica de Artes e Humanidades
- especializada em fenômenos ligados à História do Tempo Presente
(século XX e XXI) - recebe
em fluxo contínuo artigos, resenhas,
opiniões e ensaios críticos.

Os materiais para as próximas edições devem ser entregues nas seguintes datas:

Nº 15 - Narrativas e identidades na internet
Responsável: Profa. Esp. Ana Paula Nunes/ USP – Lepcon/ Juiz de Fora (MG)
até 15/08/2016

Nº 16 - Autoritarismo, resistência e repressão na contemporaneidade
Responsáveis: Prof. Dra. Gizele Zanotto (coordenador Lepcon/ Passo Fundo-RS) e Profa. Dra. Giselda Brito (coordenadora Lepcon/ Recife-PE)
até 15/02/2017

 

Acesse as Normas Editoriais

Confira os modelos de templates

Artigo - Resenha - Entrevista

Mande seu texto por e-mail:
revistacontemporaneos@gmail.com

 

Revista ContemporArtes

 

Os artigos desta revista não correspondem necessariamente à opinião de seus editores.


  

Promove o diálogo interdisciplinar na área de humanidades e artística tendo como eixo pesquisas sobre a contemporaneidade. Em seu quadro estão presentes docentes, discentes e pesquisadores da UFABC, UFV, UFF, UFPA, UFBA, UERJ, USS-RJ, UFRPE, UFJF, UPF-RS, UFPR, UNICAMP. Estimula reflexões sobre a produção e crítica contemporânea cinematográfica, literária, dramatúrgica, de Artes Plásticas e da Humanidades em geral. Fomenta o debate sobre memória, patrimônio e adensamento de práticas identitárias por meio de narrativas e linguagens diversificadas, além de temas que enfocam o dinamismo da época contemporânea em seus aspectos multifacetados da política, economia e cultura.

Conselhos e Corpo Editorial desta edição

 

Sumário :: Ver sumário

 

 

 
Artigos
 
Dossiê

Gênero, masculinidades e estudos queer

Direitos e Tempos Virtuais: Violências Contra a Mulher na Cibercultura
Mariana Risério Chaves de Menezes (UCSAL-SA) e Vanessa Ribeiro Simón Cavalcanti (USAL –ES)
Bofes, mariconas e vícios: clientes e masculinidades na prostituição de Campos do Goytacazes-RJ (2010-2011)
Rafael França Gonçalves dos Santos (UFRRJ-RJ)
Velhos e novos estereótipos em evidência: as masculinidades na mira das crônicas brasileiras contemporâneas
Luis Carlos Santos Simon (Unicamp –SP)
 
 
Apontamentos sobre relações de gênero na análise do design de interiores domésticos
Claudia Regina Hasegawa Zacar (UFPR) e Tania Regina Zimmermann (UEMS)
Ações afirmativas para ingresso ao ensino superior como meio de efetivação do direito à educação para os/as transexuais e travestis
Bruno Rafael Silva Nogueira Barbosa (UFPB-PB) e Laionel Vieira da Silva (UFPB-PB)
Que Bom Te Ver Viva: Gênero, Ditadura, Anistia e Memória
Raquel Caminha Rocha (UFC-CE)
Masculinidades Hierarquizadas: entre o “gay macho” e a “bicha louca”, performances de gênero nos anos 1970
Natanael de Freitas Silva (UFRRJ-RJ)
O clube das infiéis: diálogos entre a produção erótica e identidade masculina no regime civil-militar brasileiro
Romulo Gabriel de Barros Gomes (UFPE-PE)
Conflitos de gênero, mulher em situação de violência e o mundo do trabalho: ampliando espaços de vivência, convivência e sobrevivência na contemporaneidade
Vivilí Maria Silva Gomes (UFABC-SP)
Resenhas

"E quando ouvir o silêncio sorridente de São Paulo/ Diante da chacina/111 presos indefesos, mas presos são quase todos pretos/Ou quase pretos, ou quase brancos quase pretos de tão pobres/E pobres são como podres e todos sabem como se tratam os pretos"

(Música “Haiti” – Caetano Veloso e Gilberto Gil)


Cidadania, direitos e desigualdades

Por Camila do Nascimento Viana, Ana Dietrich et. al (UFABC-SP)

 
Entrevistas

"“(...) muitas mulheres com câncer de mama são mulheres que nunca puderam, por algum motivo, dizer não. Mas, a partir do instante em que a mulher começa a questionar e a viver, e a viver melhor, ela fica bem.”(Timaia Nunes)

Lourdinha Borges -  é autora do livro Câncer, Vida e Sensualidade, onde conta sua experiência com o câncer de mama e o envolvimento com o apoio às mulheres mastectomizadas. Com formação em Arte-Educação e Música tornou-se artista plástica em decorrência do seu processo terapêutico ao passar pelo câncer de mama. Lourdinha é voluntária da Sociedade Brasileira de Mastologia, do Grupo União e Apoio ao Combate ao Câncer de Mama (UNACCAM) e fundadora presidente da ONG Estrela da Mama em Praia Grande, SP.


Por Vivilí Maria Silva Gomes (UFABC-SP)